Terminou no dia 04 de fevereiro, a instrução para a habilitação no uso do “fuzil” da IMBEL MD97 para o GIRO (Grupo e Intervenção Rápida e Ostensiva) da PMGO.

GIRO com as

GIRO com os “fuzis” MD 97 IMBEL.

Perceba que quando me refiro ao MD97 como fuzil coloco entre aspas. Isso porque ele na verdade não é um fuzil, mas sim uma carabina. Todas as armas que possuem o regime de tiro automático (rajada), quando são enviadas para as Polícias Militares (PPMM) para serem usadas na lida operacional, são convertidas para o sistema semiautomático. Apenas as Forças Armadas, teoricamente, são autorizadas a utilizarem  armas de fogo com regime automático.

Pelo fato de não possuir o regime de tiro automático e também pelo tamanho do cano ser menor do que o dos fuzis e ainda por serem mais compactos, o MD97 que as PPMM trabalham não é um fuzil de assalto, mas sim uma carabina, mesmo calçando a munição 5,56x45mm ou .223 Remington.

Infelizmente o Exército Brasileiros ainda controla as armas que as PPMM usam, restringindo bastante as nossas escolhas. Não podemos sequer escolher a marca da arma para trabalharmos. Os únicos fabricantes de armas nacionais são a TAURUS e a IMBEL. Ruim e menos ruim respectivamente, por isso trabalho com a pistola menos ruim, uma IMBEL .40.

MD97 IMBEL e XM15 Bushmaster.

MD97 IMBEL e XM15 Bushmaster.

Utilizamos também na instrução “fuzis” XM15 Bushmater e “inconscientemente” os PPMM sempre escolhiam o XM15 para atirar, mesmo tendo a falsa fama de serem descartáveis

Mais