Início

TESTANDO AS ARMAS DA ARMALITE

Deixe um comentário

Este é o terceiro vídeo da série que mostra nossa visita à fábrica da ArmaLite nos Estados Unidos, onde passamos três meses atirando, fazendo cursos e conhecendo a cultura americana.

No primeiro vídeo conversamos com o CEO da empresa que nos contou sobre a holding da qual a empresa faz parte e os planos para o futuro, já que agora esta holding, bem como a ArmaLite são de propriedade de um brasileiro – https://1911armasdefogo.com/2017/11/06/armalite-onde-tudo-comecou/.

No segundo vídeo mostramos o curso que fizemos no deserto do Arizona com profissionais da SWAT de Phoenix, sob sol de 50°C – https://1911armasdefogo.com/2017/12/27/curso-de-carabina-da-armalite/.

Neste vídeo vamos mostrar o teste que fizemos com os rifles da marca, usando munições e supressões de som também fabricados por eles, que simplesmente são espetaculares.

Se você gostou da publicação, aproveite para se inscrever em nosso Blog e em nosso canal no YouTube. Veja também o 1911 ARMAS DE FOGO em outras mídias sociais.
Instagram:
https://www.instagram.com/1911armasdefogo
Facebook:
https://www.facebook.com/1911armasdefogo
Muito obrigado a todos!
“In omnia paratus.”! 👊🗡🔫
Major Bruno.

CURSO DE CARABINA DA ARMALITE

1 Comentário

Continuando a nossa série de três publicações sobre a ArmaLite, vamos agora falar do curso de tiro que fizemos em Phoenix, no Arizona – USA, de altíssima qualidade, tanto pelas armas, quanto pelo gabarito dos professores.

Junto com minha esposa, Sargento Rhainna, fizemos uma viagem de três meses nos Estados Unidos, onde conhecemos muitos lugares interessantes e visitamos alguns fabricantes de armas de fogo, como a ArmaLite. Já falamos um pouco desta tão conhecida marca de fuzil – carabina -, na primeira publicação, intitulada de “ARMALITE, ONDE TUDO COMEÇOU!”. Se você quiser ver a primeira publicação desta serie de três é só clicar aqui. Caso queira saber como foi nosso tour de 18 mil quilômetros pelos Estados Unidos é só clicar aqui – 90 DIAS NOS STATES.

Intervalo para reidratar. Sol de 49°C.

A fábrica da ArmaLite fica na capital do Estado americano de Arizona, Phoenix, onde fomos recebidos pelo CEO da empresa, nosso tão receptivo amigo Gabriel, conhecemos as instalações da ArmaLite e também fizemos uma entrevista, na qual ele nos contou um pouco da história da marca.

Naquela ocasião, deixamos agendado um teste nas armas e equipamentos que a SAC produz. Mas, neste meio tempo, outra oportunidade imperdível surgiu, que foi um curso de tiro feito com as armas da ArmaLite e com um professor muito renomado no cenário da instrução de tiro policial naquele país. Claro que não perdemos a oportunidade!

O curso seria de dois dias e voltado especificamente para o uso de carabina para o trabalho policial. Infelizmente para os estrangeiros bem intencionados, muita coisa mudou nos Estados Unidos depois do atentado de 11 de setembro. Por exemplo cursos como esse que fizemos lá, agora só são disponibilizados para cidadãos americanos. Se você for tirar férias nos Estados Unidos e lá decidir fazer um curso parecido com o que fizemos é bem provável que não consiga. Demos sorte, pois fomos convidados pelo pessoal da ArmaLite e o fato de sermos policiais aqui no Brasil ajudou bastante.

Este vídeo postado em nosso canal no YouTube mostra um pouco do que aprendemos durante o curso. Infelizmente não foi possível fazer vídeos durante os treinamentos, política do professor. Mesmo assim o vídeo ficou ótimo, como tudo que é feito pelo nosso amigo Jorge Fernando da @_makefilms_.

No primeiro dia não havíamos nos preparado muito bem para o sol do deserto e mesmo usando camisa manga longa meus braços e tronco queimaram, na verdade cozinharam, já que a temperatura estava em torno dos 49°C. Nunca imaginei que pudesse existir uma temperatura como essa.

A esquerda minha esposa, Sargento Rhainna e ao centro Gabriel Araújo, CEO da SAC.

Para o segundo dia compramos roupas com proteção solar e começamos o curso as seis da manhã, para então terminarmos mais cedo e fugir do sol implacável do Arizona.

A ArmaLite, como já dito anteriormente, agora é uma empresa dirigida por um brasileiro, que nos adiantou que pretende realizar grupos de brasileiros e levá-los para a realização de treinamentos, principalmente policiais. Com certeza uma oportunidade de intercâmbio riquíssimo pode nascer dessa iniciativa.

Ao centro o professor Rigo Durazo.

Na próxima publicação sobre a ArmaLite vamos mostrar os testes realizados nas armas e equipamentos que eles produzem. Atiramos do .223 Rem ao .50 BMG, não perca as imagens incríveis!

Se você gostou da publicação, aproveite para se inscrever em nosso Blog. Veja também o 1911 ARMAS DE FOGO em outras mídias sociais.

Instagram:

https://www.instagram.com/1911armasdefogo

Facebook:

https://www.facebook.com/1911armasdefogo

Youtube:

https://www.youtube.com/channel/UCiUp1MCDV-mV9lU0RBAvxSw

Muito obrigado a todos!

Major Bruno.

ARMALITE, ONDE TUDO COMEÇOU!

Deixe um comentário

Fizemos um tour bélico de três meses pelos Estados Unidos da América e entre outros vários lugares que visitamos, fomos a fábrica da ArmaLite, que é o nascedouro da plataforma AR, umas das melhores, senão a melhor plataforma de fuzil do mundo! Sim, essa tão famosa plataforma de fuzil foi criada por essa empresa, a ArmaLite, onde tudo começou!

Este é o primeiro vídeo de uma série de três, onde entrevistamos o CEO da holding, composta por cinco empresas de produtos bélicos, dentre elas a ArmaLite. Ele é argentino, porém, brasileiro de coração.

O Logotipo das cinco empresas que compõem a SAC.

Gabriel Araújo, CEO da SAC.

Tivemos a oportunidade de atirar com as armas da ArmaLite e inclusive fizemos um curso, minha esposa, Sargento Rhainna e eu, no sol escaldante do deserto do Arizona, sob 49° C, mas esse é o tema de nossa terceira publicação.

Agora veja a entrevista exclusiva feita em Phoenix – Arizona e para atiçar a curiosidade de todos, adianto que a ArmaLite e todas as outras empresas da SAC são de propriedade de um brasileiro. 

Em breve publicaremos a segunda e a terceira parte desta série que trata desta mundialmente renomada fábrica de fuzis.

Se você gostou da publicação, aproveite para se inscrever em nosso Blog. Veja também o 1911 ARMAS DE FOGO em outras mídias sociais.

Instagram:

https://www.instagram.com/1911armasdefogooficial

Facebook:

https://www.facebook.com/1911armasdefogo

Youtube:

https://www.youtube.com/channel/UCiUp1MCDV-mV9lU0RBAvxSw
Muito obrigado a todos!

Major Bruno.

SISTEMA “STRAIGHT PULL” – PUXADA RETA

7 Comentários

Straight pull ou “puxada reta”, em tradução literal, é um sistema de funcionamento de armas de fogo, especialmente das armas longas.

Consiste-se basicamente em um sistema de funcionamento por ferrolho, mas com o diferencial de funcionar com a execução de uma puxada reta e diferente do manuseio tradicional não é necessário levantar e puxar a alavanca do ferrolho, que é a ação mais comum e a primeira em que se pensa quando se fala em ação por ferrolho, sendo os Mauser e os Lee-Enfield os expoentes mais interessantes, mecanicamente falando.

Há uma tendência mundial em se resgatar está ação de ferollho e emprega-la em outros tipos de armas que não rifles de caça ou de tiro de precisão.

Tal fato se deve basicamente por dois motivos: 1) com as tecnologias atuais, a velocidade de acionamento do ferrolho de puxada reta é superior à dos ferrolhos convencionais, que tem uma puxada giratoria; 2) este tipo de sistema de ferrolho é uma saída prática às investidas desarmamentistas que vem acontecendo em diversos países, onde vários tipos de sistemas de funcionamento são proibidos ou restritos, como por exemplo as espingardas pump action (ação por bombeamento) e armas semiautomáticas.

Esses ataques desarmamentistas forçaram atiradores e fabricantes a utilizarem o sistema straight pull em armas como espingardas e rifles, que a princípio poderiam funcionar no sistema semiautomático ou com o acionamento tradicional do ferrolho.

O sistema straight pull é mais intrincado de produzir que o seu concorrente rotativo, razão pela qual aquele não é tão adotado, assim como determinados sistemas de funcionamento são um pouco mais delicados e suscetíveis às elementos externos, como sujeira, pó e umidade.

A POF-USA, fabricante de armas e peças norte americana, apresentou uma versão do AR-15 neste sistema, o que em teoria, tornaria possível a importação e uso dessa arma por atiradores e caçadores brasileiros. Tal já ocorre há algum tempo em países como Inglaterra e Austrália, e recentemente, no Estado da Califórnia, nos EUA, dentre outros que sofrem com o desarmamento naquele país, chamado de “gun ban”.

Os primeiros e mais famosos rifles de ação por ferrolho de puxada reta foram o Ross canadense, introduzido em 1903; o suiço Schmidt–Rubin, introduzido em 1889, e cuja variante K-31 é uma das mais apreciadas; e o austro-húngaro Mannlicher M1895.

Apesar de todos usarem o ferrolho de puxada reta, seus mecanimos não guardam relação de projeto entre si, embora possuam algumas pequenas semelhanças.
Na atualidade, além da POF-USA, outros fabricantes de armas modulares tem adotado o sistema, como por exemplo a Blaser, um fabricante alemão de rifles e espingardas finos; o fabricante Browning, que trouxe o seu Browning Maral; a Pardus, fabricante turca de espingardas que lançou a BA12, uma espingarda gauge 12. 

Não é possível no momento listar todos os fabricantes que produzem armas nesta ação, pois a cada dia mais e mais fabricas estão investindo em alternativas para vender em locais onde os direitos de posse e porte de arma não são desrespeitados.

Se você gostou do conteúdo, compartilhe com seu irmão de armas e inscreva-se no Blog para receber em primeira mão nossas publicações.
Mais informações:

Schmidt-Rubin: http://www.thefirearmblog.com/blog/2013/08/28/swiss-k31-bolt/

Pardus BA12: https://www.facebook.com/pardusarms/videos/651739801697427/

Blaser: http://www.blaser-usa.com/index.php?id=190&L=1

Autor: Equipe 1911 #derval 

Editor: Eduardo Bruno Alves 

DICIONÁRIO 1911 ARMAS DE FOGO

15 Comentários

Nosso Blog tenta trazer publicações tanto para os entendidos nos assuntos de tiro, armas de fogo, munições e afins, como para os simpatizantes e iniciantes.

Desta maneira é importante colocarmos um breve dicionário com os termos técnicos mais comuns e importantes que são usados nessa ciência.

Na verdade a quantidade de termos técnicos, gírias e corruptelas que são usados por atiradores, esportistas e profissionais da área é tão grande que existem dicionários extensos e detalhadíssimos sobre o tema.

Tentamos aqui apenas publicar um “socorro” para aquele momento de dúvida, com fotos que ajudam a ilustrar os termos e a clarear a compreensão, auxiliados além dos termos, por fotos e vídeos.

Para visualizar a foto melhor clique na imagem.

A

Abas ou Lábios do Carregador: Lábios de alimentação situados na parte superior do carregador, que posicionam e guiam o cartucho para que o mesmo seja conduzido à câmara da arma;

Abas ou lábios do carregador.

Abas ou lábios do carregador.

Acabamento Mate: Método ou processo de proteção semi-brilhante ou fosco aplicado nas peças metálicas de uma arma, para a proteção da mesma;

Acabamento: Processo de proteção ou revestimento aplicado a uma arma e seus componentes, com efeito cosmético ou de proteção, consistindo na aplicação de compostos químicos que retardam ou impedem a ação abrasiva ou oxidante, além de proporcionarem melhor visual às peças; em inglês “Finish”;

Acidente de tiro: O acidente de tiro ocorre quando se produz uma interrupção dos tiros com danos de qualquer natureza, seja danos materiais ou danos pessoais. Por exemplo, quando a arma é fabricada com material inadequado e não suporta a pressão produzida pelo cartucho, ou quando são utilizados cartuchos com cargas inadequadas para o determinado calibre da arma e o cano da arma estourou; (vide incidente de tiro)

Ação de Ferrolho: Sistema de funcionamento de fuzil ou carabina consistindo de um tubo (caixa de culatra) que recebe o ferrolho cilíndrico com uma “orelha” ou haste, o qual insere a munição na câmara do cano, para a seguir fechar o mecanismo e se efetuar o disparo; em inglês “Bolt Action”;

Revolver: arma de ação simples e dupla.

Revolver: arma de ação simples e dupla.

Ação Dupla: Sistema que permite que as armas de mão que possuem este sistema possam ser acionadas sem antes ter que se engatilhar o cão. O gatilho exerce duas funções, a saber: engatilha a arma e libera o cão; em inglês “Double Action”;

Ação Simples: Tipo de ação, na qual é necessário que o cão seja armado para se efetuar o primeiro disparo; Sistema de ação de revólver, que precisa que o cão seja armado manualmente a cada tiro para poder disparar; em inglês “Single Action”;

COLT 1911, pistola em ação simples.

COLT 1911, pistola em ação simples.

Ação: O mecanismo que faz a arma funcionar, pelo qual a mesma é carregada, disparada e descarregada. Dentre os diversos tipos de ação citamos : “Single Shot” (Monotiro), “Multi Barrels” (Vários canos), “Slide” ou “Pump – Action” (Ação de trombone), “Lever- Action” (Ação por alavanca), “Bolt Action” (Ação por ferrolho), Semi- Auto e Automática; em inglês “Action”

Aço Carbono: Liga de aço, com alto teor de carbono em sua composição, cuja principal característica é sua alta dureza; em inglês “Carbon Steel”;

Aço Damasco: Combinação de 2 ou mais tipos de aço, unidos por caldeamento. Utilizado antigamente na fabricação de canos de Armas de Fogo e brancas. Tem esta denominação pois foi na cidade síria de Damasco, durante as Cruzadas, que os europeus tiveram contato com ele; em inglês “Damascus Steel”;

COLT Double Eagle em ação dupla e aço inox.

COLT Double Eagle em ação dupla e aço inox.

Aço Inox: (abrev.) Aço inoxidável: Aço feito com liga de metais, normalmente níquel e molibidênio, que proporcionam grande resistência à ferrugem e à corrosão; em inglês “Stainless Steel”;

Aço temperado: Aço que sofreu o processo de Têmpera; em inglês “Tempered Steel”;

Aço: Liga metálica composta de ferro e carbono, podendo também possuir outros elementos químicos além destes; em inglês “Steel”;

ACP: (abrev.) Automatic Colt Pistol; Terminologia utilizada para definir a munição utilizada em pistolas semiautomáticas desenvolvidas pela Colt ou que utilizam seu sistema. Exemplo: .45 ACP, .32 ACP;

Munição .40 S&W a direita, ao centro 400 Cor-Bon e .45 ACP à esquerda.

Munição .40 S&W a direita, ao centro 400 Cor-Bon e .45 ACP à esquerda.

AE: (abrev.) Action Express Exemplo: .41 AE, .50 AE;

AE: (abrev.) Automatic Ejectors – Ejetores Automáticos;

AK 47: (Abrev.) Sigla da denominação russa Avtomat Kalashnikova odraztzia 1947 goda – Arma Automática de Kalashnikov modelo do ano de 1947. É um Fuzil de assalto no calibre 7,62x39mm 9 mm criado em 1947 por Mikhai Kalashnikov, produzido na União Soviética pela empresa estatal IZH.

Alça de Mira: Dispositivo situado na parte posterior de uma arma destinado a permitir a visada ou pontaria num alvo pré-determinado. É Fixa quando não pode ser deslocada para correção horizontal ou vertical e Regulável quando pode ser deslocada em ambos os sentidos, permitindo a correção da visada em relação ao ponto de impacto no alvo; em inglês “Rear Sight”;

Alcance Máximo: Distância
Mais

AK 47 X VIDRO ANTIBALÍSTICO

1 Comentário

Os vídeos a frente são a prova que os estudos sobre proteções balísticas estão cada dia mais avançados. O material de proteção balística mais conhecido pelas forças policiais e Forças Armadas em todo mundo, o KLEVAR, que já está entrando no hall dos ultrapassados. Temos hoje materiais muito mais efetivos do que ele, como por exemplo o DRAGON SKIN. Em outra publicação falarei melhor dessa novidade.

Nestas demonstrações, completamente ortodoxas, podemos ver dois teste balístico, onde um fuzil AK 47, calçando munição 7.62x39mm, que não se confunde com o 7.62 NATO, é disparado contra um para-brisa de carro, com uma pessoa atrás do vidro. Realmente seu criador confia na criação!!

Apreciem os vídeos e de forma alguma nunca tentem uma loucura dessa!!

Obrigado!

%d blogueiros gostam disto: