Início

TIRO EMBARCADO EM AERONAVE

4 Comentários

No dia 18 de janeiro de 2013, aconteceu no Grupamento Aéreo da Polícia Militar do Estado de Goiás (GRAER) uma instrução de tiro embarcado em aeronave. Graças a autorização do Comandante do GRAER, Sr. Major Ricardo Mendes – RM para os mais próximos, pude ter a felicidade de participar desta instrução, que é o sonho de qualquer atirador, disparar de uma aeronave em alvos que estão no solo.

O GRAER é uma Unidade Policial Militar subordinada diretamente ao Comando de Operações Especiais e hoje possui duas aeronaves e um efetivo composto de oficiais e praças extremamente especializados.

O GRAER uma das unidades da PMGO e como o próprio Maj RM disse em sua preleção matinal que antecedeu a instrução, é uma Unidade Militar “Especializada e Especial”, e por isso se destaca entre os grupamentos aéreos do país, pois forma PPMM (policiais militares) de outras corporações policiais militares de outros Estados e também de outras forças. 

Visão frontal do Galpão do GRAER.

Visão frontal do Galpão do GRAER.

Pela manhã o Comandante do GRAER fez uma briefing, ou preleção – como prefiro dizer, com a tropa explicando como se desenvolveria a instrução daquele dia, quais os objetivos e fazendo algumas observações importantes como as regras de segurança e a atenção dos participantes, que deve ser redobrada durante os exercícios.

Preleção matinal.

Preleção matinal.

Após a preleção deslocamos para o local da instrução, uma fazenda fora do perímetro urbano de Goiânia, isso pois o espaço para a realização desse tipo de instrução deve ser muito grande. O local utilizado foi perfeito, pois havia também linhas de tiro onde pudemos fazer as duas partes da instrução.

Esse vídeo mostra a chegada dos instrutores e do aluno convidado – eu, ao local da instrução.

A instrução se dividiu em duas partes bem distintas. A primeira com o tiro em solo onde os PPMM realizaram tiro estático em uma linha de tiro, com os alvos à frente,

Mais

INSTRUÇÃO COM O “FUZIL” MD97 IMBEL PARA O GIRO

12 Comentários

Terminou no dia 04 de fevereiro, a instrução para a habilitação no uso do “fuzil” da IMBEL MD97 para o GIRO (Grupo e Intervenção Rápida e Ostensiva) da PMGO.

GIRO com as

GIRO com os “fuzis” MD 97 IMBEL.

Perceba que quando me refiro ao MD97 como fuzil coloco entre aspas. Isso porque ele na verdade não é um fuzil, mas sim uma carabina. Todas as armas que possuem o regime de tiro automático (rajada), quando são enviadas para as Polícias Militares (PPMM) para serem usadas na lida operacional, são convertidas para o sistema semiautomático. Apenas as Forças Armadas, teoricamente, são autorizadas a utilizarem  armas de fogo com regime automático.

Pelo fato de não possuir o regime de tiro automático e também pelo tamanho do cano ser menor do que o dos fuzis e ainda por serem mais compactos, o MD97 que as PPMM trabalham não é um fuzil de assalto, mas sim uma carabina, mesmo calçando a munição 5,56x45mm ou .223 Remington.

Infelizmente o Exército Brasileiros ainda controla as armas que as PPMM usam, restringindo bastante as nossas escolhas. Não podemos sequer escolher a marca da arma para trabalharmos. Os únicos fabricantes de armas nacionais são a TAURUS e a IMBEL. Ruim e menos ruim respectivamente, por isso trabalho com a pistola menos ruim, uma IMBEL .40.

MD97 IMBEL e XM15 Bushmaster.

MD97 IMBEL e XM15 Bushmaster.

Utilizamos também na instrução “fuzis” XM15 Bushmater e “inconscientemente” os PPMM sempre escolhiam o XM15 para atirar, mesmo tendo a falsa fama de serem descartáveis Mais

%d blogueiros gostam disto: