Início

SISTEMA ADC

Deixe um comentário

​Neste novo vídeo para o Youtube falamos sobre o sistema ADC (Armador Desarmador do Cão) das pistolas de Ação Simples, que é um sistema de dificil manuseio, porém, saber usá-lo é muito importante!

Veja também o 1911 no Instagram http://www.instagram.com/1911armasdefogo/

E no Facebook http://www.facebook.com/1911armasdefogo/

Obrigado a todos!

SISTEMAS DE ACIONAMENTO DE UMA ARMA DE FOGO

Deixe um comentário

Neste nosso segundo vídeo feito para o Youtube, falamos de outra dúvida muito frequente entre nossos seguidores do Facebook e do Instagram, que é sobre os Sistemas de Acionamento de uma arma de fogo. Saiba mais sobre o que é a Ação Simples e a Ação Dupla de uma arma de fogo e veja como fazer no momento do disparo.

Se você gostou do video, deixa aquele like, inscreva-se em nosso canal e compartilhe com seus irmãos de armas!

Veja também o 1911 no Instagram http://www.instagram.com/1911armasdefogo/

E no Facebook http://www.facebook.com/1911armasdefogo/

Obrigado a todos!

PORQUE 1911?

Deixe um comentário

Atendendo aos inúmeros pedidos de seguidores do Facebook e do Instagram para que fizéssemos vídeos especiais para nosso canal no YouTube, apresentamos este primeiro vídeo explicando uma dúvida muito frequente que recebemos.

Veja o vídeo e entenda porque decidimos colocar o nome 1911 em nossas mídias sociais. 

Se você gostar de nosso conteúdo, compartilhe com seu irmão de armas!

Veja também o 1911 no Instagram http://www.instagram.com/1911armasdefogo/

E no Facebook http://www.facebook.com/1911armasdefogo/

Obrigado a todos!

​CARREGADOR TAMBOR 

2 Comentários

O carregador é uma das partes mais importantes de uma arma de fogo automática ou semiautomática, pois é ele que acondiciona as munições que serão usadas na arma. Temos vários tipos de carregadores, mas iremos tratar de um tipo específico nesta publicação, o carregador cilíndrico, que também é chamado de carregador tambor ou da maneira carinhosa que os brasileiros adotaram de “lata de marmelada”.

Carregador cilíndrico duplo de pistola.

No video abaixo, temos um carregador cilíndrico de um AK 74, que é a versão mais moderna do AK 47. Este tipo de carregador é chamado em inglês de Drum Magazine e possui modelos para pistolas, fuzis, submetralhadoras e ​metralhadoras em calibres pesados e em várias quantidades de munições (50, 100, 150 e 1000 ou mais).

Uma arma muito famosa e que sempre aparece usando um carregador tambor é a submetralhadora Thompson (aquela do gangster americano Al Capone). Ela calca o calibre .45ACP e que costumava não funcionar bem com esse tipo de carregador.

Os carregadores cilíndricos atuais são bem produzidos e confiáveis. Atualmente este tipo de carregador está sendo muito usado nas pistolas Glock, que com um pequeno ajuste, passa a trabalhar no regime de tiro automático.

Abaixo temos o canhão rotativo de 20mm, M61A1 que também tem um carregador tipo tambor.

Nesta foto temos uma carabina M4 usando um carregador tambor Beta C-Mag de 100 munições.

Neste ótimo vídeo do canal FPS Russian, ele atira com a espingarda Gauge 12 AA12, que é automática e usa carregadores cilíndricos. Esta arma deve ser um sonho. Pelo menos podemos sonhar!

É para finalizar trazemos um AK74 – versão mais moderna do AK 47 – trabalhando com um carregador tambor de 100 munições. Coisa linda de se ver!

É isso aí amigos, se gostaram, compartilhe com seu irmão de armas!!

Veja também o 1911 no Instagram http://www.instagram.com/1911armasdefogo/

No Facebook http://www.facebook.com/1911armasdefogo/

Obrigado a todos!

REVÓLVER OU PISTOLA. QUAL É O MELHOR?

26 Comentários

Esta é uma pergunta antiga e muito polêmica, já envolve muita paixão – pois é isso que o revólver significa!!! Quem não esbugalha os olhos quando vê um grande e imponente revólver? E também envolve desconfiança, que é o que muitos ainda tem em relação às pistolas, principalmente aqueles que não tem intimidade com essa tipo de arma de fogo.

A verdade é que hoje as duas armas coexistem e tem seus adeptos, que movidos pela paixão, ou pela razão fazem sua escolha e a defende com veemência. Por isso esclareço logo no inicio deste artigo que as palavras que seguem à frente são as minhas considerações sobre o tema, nada mais do que isso.

revolver e pistola 2

Por exemplo, temos aqui nessa foto uma pistola Desert Eagle da IWI (Industria Israelense de Armas), no calibre .50AE (Action Express) e um revolver G500 da Smith & Wesson, que calça o calibre .500 S&W Magnum. São dois canhões  desejados pela grande maioria dos atiradores e admiradores de armas de fogo do mundo todo!!!

Mas esses dois calibres não servem para o uso policial ou para a defesa pessoal por causa do grande recuo que eles geram e também pelo exagerado tamanho. O tempo de reenquadramento da arma após um disparo é muito longo, de forma que enquanto você faz um disparo, seu oponente, armado de .380 ACP, faz três ou quatro. Claro que se você conseguir acertar seu oponente ele vai morrer umas três vezes!!

Uma curiosidade desses calibres é que eles são – teoricamente – iguais, só que um é uma versão para pistolas e o outro para revolveres. Se você quiser saber tudo sobre o .500 S&W MAGNUM – O CALIBRE DE MÃO MAIS PODEROSO DE TODOS, é só clicar aí. Essa é uma de nossas melhores publicações!

Já que o tema é bastante polêmico, para diminuir o alcance de nossa despretensiosa discussão, vamos nos ater a controvérsia REVOLVER X PISTOLA, apenas para o emprego policial e para a defesa pessoal.

Esse vídeo mostra um teste balístico que começa com uma 9mm, passa pelo Casull 454 e termina no G500.

Vamos iniciar os debates sobre o tema, para mais à frente chegarmos à conclusão se é o revolver ou a pistola

Mais

PARA ONDE VÃO AS ARMAS DE FOGO APREENDIDAS NO BRASIL

5 Comentários

Com as novas discussões sobre o Estatuto do Desarmamento – Lei 10.826/2003, várias questões envolvendo as armas de fogo de nosso país vieram à baila novamente, como por exemplo se o cidadão tem direito de portar uma arma de fogo ou não. Mas essa questão polêmica não é nosso objetivo hoje, mesmo porque sou suspeito para debater esse tema, pois amante das armas de fogo como sou, é claro que acho que todo cidadão tem direito de se defender, inclusive usando uma arma de fogo se for preciso. O tema que iremos tratar nessa publicação é qual o fim das armas de fogo apreendidas no Brasil, pois poucos sabem o que acontece com essas armas.

A destruição de armas de fogo

Mais

PROTEÇÃO BALÍSTICA – Parte I

6 Comentários

Este tema, proteção balística, hoje é muito amplo e de maneira alguma conseguiríamos exauri-lo, pois encontramos proteção balística em itens como óculos, luvas, vidros, fios elétricos, peças automobilísticas, veículos (civis e militares) além de uma infinidade de possibilidades, por isso mesmo vamos nos ater a proteção balística pessoal, fazendo um passeio histórico desde sua possível origem, atualidade e algumas novidades que andam aparecendo por ai.

Na página da Self Defense encontramos uma artigo do nosso amigo Major Victor, que nos dá uma introdução muito interessante sobre a proteção balística e sua evolução. Lá nos é apresentado que a primeira utilização pelo homem de algo semelhante ao que hoje nós conhecemos como proteção balística, foram as peles de animais, usadas ainda pelos primitivos para se proteger das garras e presas dos predadores. Muito depois, surgiram os escudos, feitos de peles no início, e então de materiais rígidos, como a madeira e metais. Os metais também foram usados pelos romanos na proteção do corpo, como placas peitorais, e depois como armaduras de corpo inteiro na idade média. Com o advento das armas de fogo (por volta de 1500 d.C), as proteções existentes tornaram-se obsoletas e logo perderam espaço.

Essa é uma cota de malha de aço, usada embaixo das armaduras dos cavaleiros medievais. Com o surgimento de balestras mais poderosas e depois das armas de fogo as armaduras medievais perderam a função de proteção do seu usuário.

Essa é uma cota de malha de aço, usada embaixo das armaduras dos cavaleiros medievais. Com o surgimento de balestras mais poderosas e depois das armas de fogo as armaduras medievais perderam a função de proteção do seu usuário.

A proteção balística flexível como hoje conhecemos teve suas origens ainda no Japão medieval, onde os guerreiros usavam peças confeccionadas em seda para se proteger do fio das espadas e das flechas inimigas. Somente no século XIX é que os americanos tentaram utilizar a seda com fins de proteção balística, contudo, esta se mostrava efetiva contra os projéteis de baixa velocidade (em torno de 100 a 150 m/s) das armas usadas até então, e ineficazes contra a nova geração de armas raiadas, que atingiam mais de 200 m/s. Além disso, o custo da seda era altíssimo – o equivalente a 2.500 reais de hoje – por unidade.

A próxima geração de material balístico viria durante a Segunda Guerra Mundial. O Nylon balístico era eficiente contra fragmentos de projéteis e explosões, mas não detinha a maior parte dos projéteis de pistolas e fuzis. Além do quê, eram extremamente grandes e desajeitados, mal servindo para fins militares.

Mais

Older Entries Newer Entries

%d blogueiros gostam disto: