Nosso amigo Rodrigues Rodrigues, interessado como é pelo assunto, me enviou através da Fanpage 1911 ArFog https://www.facebook.com/?ref=tn_tnmn, um vídeo muito interessante sobre uma munição de impacto controlado chamada G2R’s projectile R.I.P. Vejamos então o vídeo.

Realmente após assistir o vídeo ficamos impressionados com os resultados da munição ao se chocar com o alvo. Mas não devemos nos levar apenas pelo fenomenológico e tentar observar essa nova e tão surpreendente munição com um pouco mais de atenção.

projetil 3

O projétil G2R’s é na verdade um projétil de fragmentação controlada, pois ele se “despedaça” ao tocar o alvo, mas existem também outros projéteis de fragmentação controlada para armas curtas que se dividem antes mesmo de atingir o alvo desejado, assim como ocorre com os

cartuchos de armas longas preenchidos de bagos de chumbo ou algo semelhante.

projetil 1

Segundo o fabricante dessa munição a geometria de sua ponta, faria com que o projétil se fragmentasse de maneira maximizada ao atingir o alvo, sem conduto perder a trajetória durante o voo, aumentando assim a destruição de tecidos e consequentemente o Poder de Parada da munição. A ponta de divide em oito “pétalas”, que tomam destino variado dentro do alvo atingido e o cartucho pode ser usado contra vários tipos de superfície como madeira planas, vidros de veículos, placas de gesso, blocos de cimento, placas de metal e várias camadas de tecido grosso.

balão

Existem vários outros projéteis de fragmentação controlada que surgiram antes do G2R’s, como por exemplo

os projéteis VBR-Belgium 7.92x24mm S-3P, onde o “S” significa “Shotgun” nessa nomenclatura. Essa munição de defesa pessoal necessita um kit de adaptação para as pistolas Glock 17, 19, 6 26.  Os projéteis destas munições se fragmentam controladamente em três partes ainda fora do alvo, podendo atingi-lo em até três pontos distintos. No vídeo abaixo, vê-se como funciona o conceito e o seu efeito a 4, 7 e 10 metros.

Projéteis de fragmentação controlada como os do vídeo, que funcionam tanto em canos raiados como em canos de alma lisa, são usados também em revólveres calibre .44 Magnum e são o tipo mais adequado para defesa residencial, segundo informações do fabricante da munição.

Revolver Magnum .44 com munições de fragmentação controlada.

Revolver Magnum .44 com munições de fragmentação controlada.

Existe ainda uma munição de fragmentação controlada projetada para as armas da FN, a pistola FIVE SEVEN e o fuzil P90, que usam o mesmo calibre, o 5.7x28mm SS109, porém esse calibre, projetado inicialmente para perfurar proteções balísticas leves, como os coletes de proteção balística, devido ao pouco peso e ao seu diâmetro pequeno, resultavam em impactos de pouco “Poder de Parada”.

Para saber mais sobre essas armas e sobre a mundialmente renomada fábrica de armas FN, acesse uma de nossas publicações, clicando no link a frente:

https://1911guns.wordpress.com/2014/01/12/algumas-consideracoes-sobre-a-problematica-das-armas-de-fogo/

A munição de 5.7x28mm é utilizada na pistola belga FN Five Seven.

A munição de 5.7x28mm é utilizada na pistola belga FN Five Seven.

Para resolver esse problema da falta de Poder de Parada desse calibre a VBR-Belgium desenvolveu outro projétil para esse calibre, o VBR-Belgium 5.7 B2F 40, que é dividido em duas partes, porém, elas são ligadas por eixo, que ao tocar o alvo se quebra e a munição se parte, onde suas partes tomam destinos diferentes no interior do alvo. Essa característica dá ao projétil a possibilidade do “tombamento”, o que aumenta as cavidades permanentes e aumenta o Poder de Parada, pois o choque hidroestático resultante da transmissão de energia do projétil para o alvo, teoricamente, resultaria na incapacitação imediata ou mais rápida do oponente.

Munição VBR-Belgium 5.7x28mm B2F 40.

Munição VBR-Belgium 5.7x28mm B2F 40.

E finalmente, porém, sem exaurir o assunto, falo do calibre para revolver RT 410 Judge, ou como é mais conhecido aqui no Brasil, calibre 36, que nada mais é que um cartucho para revolver de alma lisa. O vídeo adiante é muito bem claro para explicar o que esse tipo de munição de fragmentação controlada pode fazer. Muito bom esse vídeo da CBC.

Os projéteis de fragmentação controlada são indicados para a defesa pessoal e para tiros instintivos ou sem visada, como queiram chamar, pois eles teoricamente compensam a falta de empunhadura ou de postura corporal feita nesse tipo de tiro, pois atiramos o mais rápido possível em situações adversas e inesperadas. Erros causados pela dificuldade que atiradores, geralmente com pouca prática, enfrentam ao ter que lidar com o controle de ansiedade em situações de defesa pessoal. Esse tipo de munição é tida como ideal para que pessoas com pouca experiência e adestramento em tiro possam se defender.

Revolver TAURUS calibre RT 410 Judge ou calibre 36.

Revolver TAURUS calibre RT 410 Judge ou calibre 36.

Podemos concluir que já há algum tempo existem os tais projeteis de fragmentação controlada, o que prova que não há nenhuma novidade tão grande nos cartuchos da G2R’s projectile R.I.P. Essa munição realmente é impactante, mas seus resultados, aparentemente, são muito bons no papel ou na gelatina balística. Para o uso contra alvos humanos ainda temos que esperar pra ver, e ver fora do Brasil, pois aqui, ao vivo e a cores, acho que não veremos uma munição dessa nunca.

A prática nos mostra que cartuchos com peso de ponta mais pesados são mais confiáveis, isso em qualquer calibre. As munições Premium ou +P proporcionam mais penetração e deformação, resultando em maior destruição de tecidos e assim maior Poder de Parada. Quero lembrar que a G2R’s projectile R.I.P. se divide em oito “pétalas” pequenas e muito leves.

Munição G2R's projectile R.I.P.

Munição G2R’s projectile R.I.P.

Outro detalhe é o preço alto dessas munições, inclusive para o mundo bélico dos Estados Unidos da América. Por lá essa munição custa em torno de US$ 2,oo, cara até para os padrões daquele país, principalmente se considerarmos que para se ter segurança com uma arma é necessário a realização de 100 ou 200 disparos no mínimo.

Se realmente a alta velocidade, e o pouco peso das munições de fragmentação controlada fossem a solução para os “problemas” dessa natureza, todos estariam usando esse tipo e munição, incluindo as forças policiais mundo a fora e isso não acontece. Geralmente a prática nos responde várias questões e neste caso se aplica essa máxima.

Se você gostou do conteúdo, compartilhe com seu irmão de armas e inscreva-se no Blog para receber em primeira mão nossas publicações.

TKS DOBRADO!

Major Bruno.