O carro mais veloz, o cavalo mais rápido, o maior navio do mundo… a mensuração de poder superlativo sempre esteve no imaginário popular e todos sempre procuram saber qual o mais forte ou mais poderoso de uma certa categoria.

O calibre que falaremos é atualmente o calibre produzido em série mais poderoso do mundo, mas essa medida, quando falamos em armas de fogo ou calibres de munição, nunca é uma verdade acabada, pois sempre um fabricante pensa e faz algo mais forte do que aquele que lidera a “corrida”.

O .500 S&W MAGNUM é um calibre da família dos .50 (12.7mm) desenvolvido pela empresa Cor-Bon em parceria com a renomada fabricante americana de armas de fogo Smith & Wesson. Desde seu princípio este calibre foi pensado para ser usado na arma curta mais poderosa de todas.

.500 revolver

Modelo 500 S&W com bandoleira.

A Cor-Bon é uma fabricante de armas curtas e munições, situada nos EUA, na Dakota do Sul, fundada em 1982 e é famosa pelo desenvolvimento de calibres diferenciados como o .400 CorBon,

que nasce da colocação de uma ponta do calibre .40 S&W em um cartucho .45 ACP (Automatic Colt Pistol) e também por outro projeto seu, o .32 NAA, que é a colocação de uma ponta do calibre .32 ACP – mais conhecido aqui no Brasil como o 7,65mm Browning, ou simplesmente 7,65 – em um cartucho do calibre .380 ACP.

Da esquerda para a direita: .40 S&W, .400 CorBon. .45 ACP.

Da esquerda para a direita: .40 S&W, .400 CorBon. .45 ACP.

À esquerda um .32 NAA e à direita um .380 ACP.

À esquerda um .32 NAA e à direita um .380 ACP.

“Nós começamos isso”, disse o Gerente de Produção da S&W, referindo-se ao projeto original do revolver S&W .357 MAGNUM, lançado em 1935 – que reinou por muito tempo como sendo o calibre mais forte do mundo e também sobre o calibre .44  Remington MAGNUM, que desbancou o .357 MAGNUM e finalmente se refere também ao calibre .41 MAGNUM em 1956 e 1961. “É hora de pegarmos de volta o primeiro lugar”, esperando conseguir isso com o lançamento de seu novo calibre o .500 S&W MAGNUM.

A frente temos as medidas oficiais do .500 S&W MAGNUM.

medidas oficiais

Todos esses calibres e as respectivas armas que os calçam foram desenvolvidos pela Smith & Wesson. Isso, pois foi a S&W que começou a moda americana que pegou no mundo todo, de projetar calibres de mão mais fortes, com transmissão de energia e poder de incapacitação bem maior que os comumente usados em serviço – pelas forças policiais ou Forças Armadas, ou simplesmente para o esporte.

Revolver .500 S&W MAGNUM e o .44 MAGNUM.

Revolver .500 S&W MAGNUM e o .44 MAGNUM.

Porém, desde 1960, com o lançamento do .454 Casull, dos projetistas Dick Casull e Jack Fulme, que não são da S&W, esses calibres foram superados em força e fator de energia e este calibre tomou a ponta da pirâmide dos mais poderosos.

várias munições e .50 AE

Com a criação do “Model 500 Revolver” e da munição .500 S&W MAGNUM, em 2003 a Smith & Wesson retomou o titulo de fabricante da arma de fogo produzida em série mais poderosa de todas.

Posteriormente, em 2004, a Cor-Born desenvolveu o .500 S&W Special, que é uma versão mais curta do .500 S&W MAGNUM, com redução drástica da carga de pólvora. Este cartucho é disparado também no Modelo 500 da S&W.

Da mesma forma que acontece com o .38 Special para o .357 MAGNUM, mas ao contrário do que se deu com esses dois calibres o .500 MAGNUM veio antes do .500 S&W Special. A balística conseguida foi levemente superior ao calibre .480 Ruger, que por sua vez é mais forte que o .454 Casull.

Modelo .500 S&W.

Modelo .500 S&W.

Esses calibres usam pontas de 200 Grains (26g), o que não é possível para os cartuchos no calibre .45. Eles foram projetados inicialmente para a caça pesada, próprios para abater urso. A balística terminal desses grandes calibres, com pontas pesadas e velocidade moderada é impressionante e com penetração profunda.

Armas como o .44 MAGNUM, .454 Casull, .480 Ruger, .500 Linebaugh e o .500 S&W MAGNUM, são revolveres feitos para a caça de búfalos e elefantes africanos, pois são mais potentes e com grande capacidade de dano.

O calibre .500 S&W MAGNUM (12.7mm), segundo a legislação americana que trata de armas de fogo, está no limiar entre uma arma de fogo e um “Destructive Device” – dispositivo destrutivo.

Chassi extra largo do modelo 500 S&W.

Chassi extra largo do modelo 500 S&W.

O calibre .50 AE (Action Express), por exemplo, que foi projetado inicialmente com a dimensão de 12.9mm, teve que ser reduzido para a mesma dimensão do .500 S&W (12.7mm), para sair da categoria de “dispositivo destrutivo” e se encaixar entre as arma de fogo.

O .50 AE é o cartucho correspondente ao .500 S&W para as pistolas e a arma que o calça é a Desert Eagle, Iniciada e patenteada pela Magnum Research Inc, foi refinada pela IMI (Israel Military Industries) agora IWI (Israel Weapon Industries) e hoje também é produzida por esta empresa.

Acima o modelo 500 da S&W, ao meio o .454 e Casull e abaixo a Desert Eagle .50 AE.

Acima o modelo 500 da S&W, ao meio o .454 e Casull e abaixo a Desert Eagle .50 AE.

O cartucho do .500 S&W á capaz de suportar até 50% de sobre pressão, porém, seus testes são feitos apenas 20% além de seu limite máximo, sobrando ainda 30% de limite de segurança.

A fabricante nacional TAURUS possui um revolver que teoricamente calça o calibre .500 S&W MAGNUM, chamado de RANGING BULL– Touro Nervoso, mas na prática seu tambor não é grande suficientemente para calçar a munição da Cor-Bon. Seria necessário que sua medida fosse de 58.4 mm, mas seu tambor tem apenas 5.1 mm, sendo assim mais curto do que o tambor do “500 S&W Model”.

Ranging Bull da TAURUS, calibre .500 S&W MAGNUM.

Ranging Bull da TAURUS, calibre .500 S&W MAGNUM.

Esses são parâmetros da arma mais ponderosa do mundo:

Fabricante: Smith & Wesson;
Modelo: 500;
Operação: ação simples e dupla;
Calibre: .500 S&W MAGNUM;
Comprimento do cano: 8,38 polegadas;
Comprimento total: 15.0 polegadas;
Capacidade: cinco munições;
Fabricação: 2003;
Peso desmuniciado: 2.030 g;
Miras: reguláveis em altura e lateralidade;
Acabamento: Aço inoxidável escovado;
Propósito: Arma de mão para caça.

Essa arma não é um artefato de recou “doce”. O atirador logo após os disparos já não está tão satisfeito e sente em sua mão toda a energia desse calibre.Você verá no penúltimo vídeo que o atirador executa cinco disparos e reclama em inglês, “minha mão doe pra diabo!!”.

À direita um cartucho da munição .44 S&W MAGNUM e à direita o .500 S&W MAGUN

À direita um cartucho da munição .44 S&W MAGNUM e à direita o .500 S&W MAGNUM.

O .500 S&W não é uma arma para a prática esportiva ou para o trabalho policial, ele foi projetado e é usado para abater a caça desenfreada que ataca de tal forma que sequer deixa tempo para correr. Nos EUA foi desenvolvido para abater ursos que se aventuram em ataques contra pessoas. Por isso tanta energia, pois ele consegue resultados balísticos melhores que certos fuzis, como por exemplo o 5,56mm, no que diz respeito a poder de incapacitação.

Disparo com um modelo 500 S&W usando o seu calibre próprio.

Disparo com um modelo 500 S&W usando o seu calibre próprio.

Para melhorar o deslocamento que a arma faz para cima, foi colocado na ponta do cano do revolver um compensador.

Compensador com seis eventos.

Compensador com seis eventos.

Ao contrário do que muitos pensam o compensador não diminui o recuo da arma. Ele apenas impede que ela suba demais, pois faz força contrária ao movimento natural da arma de subir no momento do disparo.

Essa frase é emblemática: “This here being a .44 Magnum, the most powerful handgun in the world, you gotta ask yourself. . .do you feel lucky?”

Clint Eastwood, em seu filme Dirty Harry – 1972, usava, naquela época, a arma mais poderosa existente, o Smith & Wesson modelo 29, no calibre .44 MAGNUM. Após o surgimento do .500 S&W MAGNUM acho que ele terá que gravar um novo filme.

 

Existe também o inacreditável revolver .500 S&W Snub Nose de 3,5 polegadas.

.500 S&W Snub Nose.

.500 S&W Snub Nose.

Disparando com .500 Snub.

Disparando com .500 Snub.

Devemos destacar que é um pouco sem sentido desenvolver revolveres super poderosos com canos tão pequenos. Esses calibres necessitam de um cano de no mínimo 6 polegadas para poderem desenvolver toda sua capacidade balística e além do mais o recuo produzido é algo quase que incontrolável, qualidade indesejável em uma arma de fogo, principalmente uma poderosa como o .500 S&W MAGNUM.

O vídeo a frente mostra o funcionamento da desbancada .44 MAGNUM e da atual arma de mão mais poderosa do mundo, o .500 S&W MAGNUM. Veja que o .44 já era grande, mas foi superado pelo .500.

Perceba que ele sempre atira em ação simples, o que é muito usual em armas de grandes calibres por causa do enorme recuo que elas  proporcionam, mas as duas armas foram projetadas para serem usadas também em ação dupla.

E finalmente esse vídeo mostra um teste e comparativo balístico entre a Bereta 92 calibre 9mm, o S&W .45 ACP, o Ruger RedHawk .44 MAGNUM, o .454 Cassul – da TAURUS por sinal, e o .500 S&W MAGNUM. Depois de tudo que eu falei dá para imaginar quem foi o mais poderoso do mundo!!!!