Sempre que ministro aula de tiro policial com pistolas no calibre .40 S&W, os alunos afirmam que preferem trabalhar com o calibre 9x19mm do que com o calibre .40. Pois ouviram dizer que o .40 não é capaz de transfixar a lataria de um veículo e o calibre 9mm consegue isso com facilidade. Para essa afirmação eles estão pensando para o calibre . 40 a munição da GOLD da CBC (EXPO) e para 9mm a munição 9mm Luger (EXPO), pois são as usadas em nossa Corporação.

Na realidade a grande maioria deles nunca sequer trabalhou com uma arma calibre 9mm, pois elas são restritas às unidades especializadas ou para os Oficiais da PM, além de ser um calibre de uso restrito das FFAA – Forças Armadas. Essa afirmação é apoiada em uma lenda que corre nas fileiras milicianas que o calibre .40 não é capaz de perfurar a lataria de um veículo.

De plano eu refuto essa afirmação enganada dando o meu relato pessoal e profissional, falando sobre ocorrências policiais onde precisei disparar contra veículos, usando uma pistola IMBEL MD5 ou uma pistola TAURUS 640, ambas no calibre .40 e a lataria do carro foi perfurada, atingindo os ocupantes do carro, ou seja, o objetivo desejado foi conseguido.

Durante uma instrução nesta semana aproveitei a turma de Cadetes para mostrar de maneira prática se realmente o calibre .40 S&W é capaz ou não de perfurar a estrutura de um carro. Para isso foram usadas várias armas e calibres diferentes, que serão mostrados um a um, disparados contra a porta de um Honda Civic a 10 metros de distância. Decidimos usar um carro atual, considerando que os veículos antigos possuem a lata mais grossa e também, pois o mais comum é encontrar veículos novos nas ruas.

Os disparos foram feitos pelos próprios alunos.

O primeiros disparo foi feito com uma PT 100 da TAURUS com a munição .40 Trainer, que, segundo o fabricante é uma munição apropriada para treinamentos, pois é carregada com menos pólvora. Porém, se você passá-la pelo cronógrafo a diferença de velocidade entre ela e as outras munições .40 da CBC é muito pequena e você sente o recuo dela muito próximo ao recuo das munições com carga normal.

Durante o teste também ocorreu o mesmo. A munição Trainer se comportou de maneira muito semelhante as outras munições. Faz-se necessário lembrar que essa munição não é feita para o uso operacional das forças policiais, ela é usada apenas para treinamentos.

Pistola TAURUS PT 100

Pistola TAURUS PT 100

Perceba que houve a transfixação da porta.

DSC09382

Nesta etapa foi usado uma pistola TAURUS 24/7 G2, de 4 polegadas e ainda a munição Trainer .40. Também aconteceu a perfuração da porta.

Pistola TAURUS 24/7G2

Pistola TAURUS 24/7G2

DSC09395

Neste processo usou-se uma pistola TAURUS 840, de 4 polegadas e munição Treina .40 e a transfixação do porta do carro aconteceu sem maiores problemas.

Pistola PT 840 TAURUS

Pistola PT 840 TAURUS

DSC09397

E agora usamos uma PT 640, com de 83mm de cano e munição Treina .40. Perceba que houve a perfuração da chapa de metal frontal e também da chapa interna.

DSC09399

PT 640 TAURUS

DSC09400

DSC09401

Nesta parte usamos um revolver TAURUS de 3 polegadas e uma munição recarregada, ogival de chumbo, calibre .38.

DSC09402

Por ser uma munição e chumbo, com a ponta macia, não houve a transfixação da porta, apenas o amassamento.

DSC09403

DSC09404

Projétil deformado após o impacto com a porta.

Ainda no revolver TAURUS de 3 polegadas, agora usamos uma munição .38 EXPO + P, padrão da Corporação, calibre com boa transmissão de energia e considerável poder de incapacitação. Ele facilmente atravessou a lataria do veículo.

DSC09405

DSC09406

Agora voltamos para a pistola 640, mas vamos usar desta vez munição .40 GOLD CBC. Essa é a munição que gera a insegurança na questão de transfixação de veículos. Os alunos pensam que pelo tamanho do buraco na ponta do projétil, ele não é capaz de atravessar a porta.

PT 640 TAURUS

PT 640 TAURUS

DSC09408

DSC09409

Veja que o disparo atravessou a primeira e a segunda chapa de metal da porta. Percebemos que ele perdeu um pouco a trajetória, desviando o projétil para a direita.

O próximo disparo foi realizado com uma PT 100 TAURUS, com munição calibre .40 Copper Bullet CBC. Esta munição é um bloco único de puro cobre com ponta oca (EXPO), e segundo o fabricante, ele pode ser disparado em alvos atrás de vidros e portas de madeira e materiais próximos dessa densidade que a sua trajetória não será desviada. Colocamos também uma garrafa com água atrás da porta do carro para testar se realmente a trajetória se mantém, como o fabricante afirma.

PT 100 TAURUS e munição Copper Bullet

PT 100 TAURUS e munição Copper Bullet

DSC09412

Local onde os disparos serão executados.

DSC09413

DSC09416

DSC09415

DSC09418

Percebemos que as duas chapas da porta foram atravessadas e a garrafa de água foi atingida e bem atingida. O buraco feito pela munição foi grande. Vê-se que a transmissão e energia para o objeto foi considerável.

O teste apresentado foi feito para responder uma única perguntar, se o calibre .40 S&W é capaz de perfurar a estrutura metálica de um veículo. Vimos que apenas o calibre .38 ogival, ponta de chumbo não conseguiu atravessar a porta. Os outros calibres conseguiram transfixar a porta e no caso do Copper Bullet atingiu inclusive o alvo que estava atrás da porta.

Temos que destacar que esse teste não é a verdade final no que diz respeito ao poder incapacitante do calibre .40 ou de sua capacidade de transfixar portas de veículo.

Tanto o PODER DE PARADA quanto a capacidade de atravessar objetos são ditos não por quesitos estanques e fechados. Inúmeras variantes devem ser consideradas quando pensamos nisso. A mensuração desses conceitos não é uma conta exata e perfeita, o resultado de um disparo nunca será igual ao outro, mesmo que sejam feitos no mesmo alvo.